Imperfeições perfeitas

sumiçoEstou bem sumida, eu sei! Do instagram, então, nem se fala! Porém, o post hoje não é para me justificar ou algo parecido, pois já não há mais “desculpas”. O problema mesmo é motivacional e todo mundo passa por essa fase, né? O lado bom é que estou consciente da minha “indisciplina” e o lado ruim é que, mesmo ciente, está sendo bem complicado voltar ao trilho totalmente. De qualquer forma, hoje vim falar de outros sentimentos.

Uma amiga muito querida me passou uma música e ela fala sobre o amor de homem com uma mulher. A letra inteira é bonita, porém, a melhor parte é uma frase do refrão. Para ser mais exata uma “expressão”.

Cause all of me
Loves all of you
Love your curves and all your edges
All your perfect imperfections
Give your all to me
I’ll give my all to you
You’re my end and my beginning
Even when I lose I’m winning
‘Cause I give you all, all of me
And you give me all, all of you

Depois de ouvir umas 47714411 de vezes essa música (sou assim: gosto e ouço até enjoar), fiquei pensando em outro tipo de amor: o próprio. Eu já falei desse tema em outros posts, aqui e aqui. Porém, sempre é bom retomar, pois acho que, no fundo,  muitos dos problemas que enfrentamos com a comida estão relacionados a nossa autoestima, a nossa segurança interna e por isso, com o nosso amor próprio. Pensando nisso, sempre me lembro do clipe da Dove (postei aqui) e que tem tudo a ver com essa expressão da música.

Afinal, por que alguns traços de nossas personalidades são considerados imperfeições por nós mesmos? É como falam “ tudo depende do seu ponto de vista”. Se você souber analisar bem seus pontos mais “críticos”, eles podem ser “perfeitas imperfeições” e que são essenciais para construir o que você é. Claro que nem tudo são flores, mas por que ser tão duras conosco? Se a sociedade já tanto nos julga, por que temos que ser mais uma a julgar? Focamos em detalhes sem importância, perdendo nossa energia em assuntos pequenos e acabamos achando na comida esse conforto vazio.

respeito-ao-biotipo-4013-1Não estou aqui falando sermos 100% confiantes em nós mesmos, ninguém é assim. NINGUÉM, nem mesmo a Gisele Bündchen. O que estou propondo tanto para vocês quanto para mim é que sejamos menos exigentes, menos “cobradores” de uma perfeição nossa em determinados assuntos e, especialmente, no emagrecimento. Sejamos menos cobradores dos outros também, afinal,  odiamos quando os outros cobram da gente né? (“e ai, emagreceu quanto já?”)

Precisamos aprender a respeitar nosso biotipo, nossas limitações. Isso não quer dizer que devemos nos acomodar na situação na qual estamos. Isso quer dizer é que chegada a certo ponto não há nada o que fazer para alterar a situação. Por ex, mesmo quando tinha 65kg, minhas pernas continuam grossas e muito maiores do que a maior parte das minhas amigas. Eu aprendi que independente de quanto eu pese, eu sempre vou ter. Então, eu vou tentar lidar da melhor maneira possível e aproveitar esse meu atributo, certo?

Precisamos aprender a nos compreender e a nos aceitar, pois será a partir desse momento que até nossas imperfeições serão perfeitas 🙂

Beijos,

Anúncios

Experimentando: Muay Thai

Aproveitei que na quarta feira de cinzas não trabalhei para fazer a aula de Muay Thai da minha academia! Não vou começar a fazer agora, pois preciso comprar os “equipamentos” e só quando voltar de viagem. Usei os que tinham na academia e eles são totalmente nojentos #prontofalei. De qualquer forma, vim falar da minha experiência.

Minha aula foi dividida em duas partes. Os primeiros 30 minutos foram uma mistura de várias coisas: alongamos, corremos, pulamos corda, fizemos abdominais (bem malucas por sinal), pegamos uns pesinhos de 1kg para treinar socos e chutes – bem legal e já ai é muito suor!!! Nessa parte, você sente muito sem abdomen e já começa a entender o porquê dessa modalidade ter conseguido tantos fãs, como a Fernanda Souza. Quando ela postou, no instagram, a foto da sua barriga sarada e falando que conseguiu por meio da luta, foi um boom das mulheres procurando por Muay Thai nas academias. Ela saiu em algumas revistas, como Boa Forma e Shape, liguem-se nas fotinhas #queroessabarriga:

                                                   fernandasouzafernandasouza2

QUE BARRIGA É ESSA, BRASEL???

Vale lembrar que ela faz há 2 anos, então, não foi de uma hora para outra que conseguiu essa barriga!

A segunda parte do treino, ou seja, últimos 30 minutos foram com aqueles sacos de boxe e treino em dupla, colocamos as luvas e as caneleiras. Nessa hora, achei o treino mais leve, porém deve ser pelo fato de ter feito os movimentos de forma mais “lerda”, já que não sabia fazer direito. Porém, você sente suas costas, seu braço, pernas e abdômen trabalhando #diliça!!!

Agora vamos a melhor parte, 1 hora perde por volta 500 a 600 calorias, bom demais né? Claro que não bate a corrida, pois correr durante 1 hora (mais ou menos 10km) dá mais de 750 calorias perdidas! Porém, é um ótimo exercício e acho que o conjunto do muay thai e corrida será perfeito para meu projeto #barrigasarada2014, ou melhor, #projetosabrinasato2014 !!!

Bem, agora é separar o dinheiro para compra do material e esperar Abril chegar para começar a fazer!!! E vocês já experimentaram ou fazem alguma luta?

Beijos

Nosso querido Joelho

Não, não estou falando do delicioso salgado mais conhecido aqui no Rio como “joelho” haha. Estou me referindo ao nosso próprio joelho. Resolvi fazer esse post depois de receber alguns comentários sobre corrida e dores.

Contei nesse post aqui a minha história com a corrida e gostaria de que vocês lessem, pois eu sofri com dores na canela que quase me levaram a uma fratura, tudo por esforço exagerado (sem necessidade).

Enfim, sofri de dores intensas na minha canela naquela época, porém, o meu maior medo atualmente é sofrer com dores no joelho. Até agora não senti nenhuma dor, estalo ou qualquer coisa do tipo, no entanto, infelizmente, correr é um dos exercícios que mais força essa área, ainda mais quando está acima do peso (desse mal eu não sofro mais, #inchalá).

Procurando me informar pela internet, achei uma reportagem muito legal do programa Bem Estar (como vocês podem perceber eu posto muito coisa de lá, mas o site é MEGA informativo e eu adoro o programa) e nela estava o seguinte quadro:

joelhos

Viram o quanto forçamos nossas articulações quando corremos? Impressionante, né? Por isso, quem está fora de forma, tome ainda mais muito cuidado e qualquer dor sentida, o médico deve ser procurado.

Sei que muitos querem correr, como eu também quero melhorar minha velocidade, mas temos que respeitar nosso organismo. Aprendi que em relação a corrida ter calma e dedicação é a combinação perfeita para não sofrermos de algum problema mais sério.

Dessa forma, eu treino apenas 2 ou 3x por semana, nos outros dias eu faço outras atividades aeróbica como transpor, bicicleta e jump. Eu também faço aula de local (seria como a musculação) para fortalecer meus músculos e ossos. Também sei que muitos têm medo de ganhar peso com musculação, porém ela é necessária para fortalecimento dos músculos (ela foi muito útil no meu caso para não ficar flácida também). Além disso, a troca de massa gorda (gordura) para massa magra (músculo) é essencial para aumentarmos nosso gasto metabólico, pois quanto mais músculo, mais energia nosso corpo precisa para se manter, logo, mais calorias queimamos mesmo em repouso.

Outra coisa que faço para não forçar o joelho é não manter a  mesma quantidade de km de todos os treinos. Corro 1x por semana 10km e as outras vezes corro apenas 5km ou até menos, dependendo do meu tempo disponível.

Caso você queira começar a correr e vá fazer isso na academia, procure ajuda de algum profissional. Caso não tenha essa possibilidade, vá aos poucos aumentando seu ritmo, comece caminhando e vai colocando metas a cada 2 semanas. Me lembro que aumentava por volta de 0.2km/hr  a cada 2 ou 1 semana, dependendo de como me sentia. Comecei com 7km/hr e hoje corro a 10.8km/hr de forma tranquila, quando tento melhorar, coloco em 11km/hr mas não tenho pique ainda para aguentar o treino inteiro, principalmente o de 10km, então apenas coloco em 11 nos minutos finais. No entanto, sei que em breve irei conseguir!! 🙂

Vale ressaltar que por ser mais baixa (1.64m), eu nunca baterei nenhum recorde mundial haha ou algo assim, tenho plena nossa do meu limite. Meu intuito é aumentar meus kms percorridos e poder participar de uma meia maratona, quem sabe. Meu treino é de resistência e não de velocidade. O que devemos fazer é adaptar nossos treinos ao nosso organismos e limites. Então, não fique desmotivado caso ainda não consiga correr muito rápido, pois tudo tem seu tempo, o que não vale é desistir.

KeepCalm-RunForLife_sm

Vamos que vamos!!!

Beijos,