Palavra: Superação

Superação. Acredito que essa seja uma boa palavra para descrever a transformação pela qual estamos pasasndo. Afinal, para quem sempre aceitou tudo que ofereciam ou para quem nunca fez exercício, dizer ‘não’ ou sair do sedentarismo por si só já é uma superação.

No entanto, temos que fazer com que essas superações virem hábitos, pois apenas assim tornaremos menos `difícil` esse processo. No livro que a Camys sempre fala em seu blog, o ‘Pensando Magro’, a autora fala sobre o músculo da desistência e resistência.  Ela diz que é como qualquer outro músculo nosso, por ex, o da perna. Quando queremos ter uma perna definida, não vamos a academia e fazemos milhões de exercícios durante anos para ter e manter a perna assim? E a cada vez que vamos, os exercícios ficam mais fáceis e, quando percebemos os resultados, nós sentimos motivados a continuar fazendo?

Então, o ‘músculo da resistência’ não é diferente. Porém, o que ele é? É aquele músculo que toda vez que você diz ‘não’ a comida não planejada, a uma refeição ruim ou a qualquer outra coisa que não vá te beneficiar, ele se fortalece. Além disso, é ele que te sustentará nos momentos difíceis e quando a desistência parecer ser o melhor caminho.

Desde que li essa parte do livro, eu comecei a exercitar diariamente. E não foi tão complicado, já que as tentações aparecem toda hora. Exercito principalmente o ‘não’ e vejo que a cada dia vem se tornando mais fácil. Fora isso, muitas pessoas que antigamente me ofereciam algo, não me oferecem mais, pois já sabem que direi ‘não’, o que já facilita e muito a minha vida haha.

Porém, sempre aparecem alguns grandes desafios, né? Hoje vou contar um deles.

Na terça feira, cheguei no meu estágio e ao abrir meu email, vi que haveria uma reunião para participar a tarde. No convite da reunião, vi que seria ‘Snacks & Learning’, ou seja,  uma reunião com comida HAHA. E o pior, com besteira. Como já havia participado de outra, fui mais preparada psicologicamente pra essa.

Antes de ir para reunião, passei na copa, enchi minha garrafa de 500ml de água e coloquei uma xícara de salada de fruta. Fui preparada para guerra!

Lá para metade da reunião, os ‘inimigos’ chegaram: 5 bandejas de salgadinhos (incluindo a minha querida coxinha) e 1 bandeja de brigadeiro com outros docinhos. Firme e forte de que não iria comer, mantive o carão de #phyna  e continuei prestando atenção no que era dito.  Não deu nem 2s de colocados na mesa, as pessoas começaram a atacar desesperadamente a comida e o cheiro daquelas gostosuras começou a tomar a sala. Firme e forte eu continuei sem comer.

Bem próxima a mim, estava uma moça de uns 30 anos que está acima do peso, contudo, o que mais me chamou atenção nela era o modo como comia. Ela parecia envergonhada de estar comendo tantas besteiras e eu me toquei disso, quando reparei que ela comeu uns 5 brigadeiros sem ao menos mastigar (mal abria a boca para comer), em menos de 5 minutos. Nessa hora, eu tive um estalo e me senti no lugar dela. Quantas vezes não comia `escondido` achando que ninguém repararia, porém, na verdade, quem estava se enganando era eu mesma? (nessas horas, a melhor frase para pensar é `você pode comer escondido, mas a gordura aparecerá em público’)

Enfim, só sei que olhando para ela, eu não me via assim aos 30, sem esse auto controle. Afinal, ele não reflete apenas na comida (a comida é uma válvula de escape), ele reflete em outras áreas de nossas vidas também. Além disso, ao observar as outras pessoas na sala acima do peso comendo que nem uns loucos (como eu faria há 1 ano), me fez ter mais certeza ainda de que não iria comer nem 1 coxinha que fosse.

Por fim, outra coisa que deu para reparar é que a pessoa mais magra da sala comeu 1 (U.M.A) coxinha e ficou por isso. O engraçado era que quanto mais cheinha era a pessoa, mais besteira ela comia. É fogo, né?

De qualquer forma, eu consegui resistir e me senti tão vitoriosa de ter esse auto controle que tirei até uma foto no final da mesa de reunião HAHAHA. Segue a foto:

Resumo da ópera? Meu músculo da resistência está cada vez mais sarado.

O que eu pensei pra me controlar? Pensei em algumas frases, no entanto, o que mais me impressionou é que 80% do tempo que os salgadinhos estavam na minha frente eu não fiquei debatendo na minha consciência se deveria ou não comer. Eu simplesmente ignorei a presença deles. Acredito que é assim que as pessoas saudáveis e no peso correto  devem se sentir né? A comida não deve controlar a mente delas.

As frases foram:

“Eu não preciso de você” (vc=comida)

“Eu tenho autocontrole”

“Eu não planejei comer hoje isso. Estou com a minha salada, pra que preciso de salgadinho?”

“O sentimento de resistir é muito melhor do que o de desistir”

“Vou me sentir péssima se comer”

Simples não foi, no entanto, acho que estou evoluindo a cada dia em relação a isso e fico muito feliz!

E vocês já passaram por situação parecida?

Beijos,

Desculpe o post enorme, mas precisava desabafar/escrever.

Anúncios

3 pensamentos sobre “Palavra: Superação

  1. Parabéns! Confesso que meu músculo da resistência ainda não está tão sarado, mas eu chego lá! Tenho diminuído muito tudo e excluído muitas coisas… Mas sempre ficam alunas brechas. Vamo que vamo e foco sempre!

  2. Pingback: Superação: Almoço de Trabalho e Aniversário no boteco | E agora?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s